Escolha uma Página
Header-Claudio-zappts

Episódio #1: Cláudio.

Bem-vind_ ao Zappters Protagonistas!

Nesta série você terá a oportunidade de conhecer a história dos talentos da Zappts, empresa “full remota” focada em projetos de transformação digital de grandes marcas.

No nosso episódio de estreia, vamos contar a história do Cláudio!


Nascido, criado e enraizado em São Luís do Maranhão, o ludovicense Cláudio faz parte do nosso super time de desenvolvedores front-end. Aos 4 anos de idade, durante uma viagem para a casa da avó, no interior do Maranhão, ele sofreu convulsões que o deixaram com uma leve deficiência na fala.

“Durante a madrugada na casa da minha avó tive muitas convulsões e acordei no outro dia com dificuldades na fala. Pela manhã fui ao posto médico e informaram minha mãe que minha fala voltaria ao normal em alguns dias.”

Porém, durante a noite desse mesmo dia, Cláudio teve outras convulsões, muito mais fortes, que o levaram ao coma.

Ao despertar, 13 dias depois, ele não se lembrava de absolutamente nada do que havia acontecido e precisou reaprender a andar, a comer e a falar.

“Minha mãe e tia revezavam no hospital para ficar comigo, e teve um dia que a minha tia pediu para eu mexer qualquer parte do meu corpo. Ela conta que eu consegui mexer apenas um dedo, e que aquilo era um sinal de que eu iria melhorar.”

Porém, a médica de plantão do hospital disse que era muito provável que eu não fosse sobreviver, ou que caso sobrevivesse teria sequelas que me impossibilitariam de sair da cama, e que sempre dependeria dos outros.”

Pois bem… a médica estava errada!

Após dias de internação, Cláudio saiu do hospital se alimentando apenas por sonda e, ao chegar em casa, havia uma super festa preparada para o seu retorno.

“Aquela festa, quando eu cheguei do hospital, foi como um recomeço para mim. Eu senti que havia voltado à vida, e que esse seria um novo começo da minha história”.

O pai de Cláudio, Seu Cláudio, sempre bem humorado, criou diversas brincadeiras para que o filho pudesse se movimentar e voltar a ter a mobilidade de antes.

Com isso, e depois de várias sessões de fisioterapia, nosso protagonista recuperou os movimentos dos braços e das pernas.

Um ano depois, com 5 anos, Cláudio voltou à escola e enfrentou um novo desafio: o bullying dos amiguinhos.

“Foi muito difícil pra mim. Eu não queria ir para a escola por causa do bullying, mas com a ajuda da minha família, principalmente do meu irmão, pai e mãe, e de bons amigos da escola, eu superei isso e ignorei as piadas no colégio”.

O tempo foi passando e os desafios superados um a um!

Aos 9 anos, Cláudio já sabia que queria trabalhar com computação, fruto da sua paixão por games. Já no início da juventude, buscando realizar seu sonho de virar programador, ele iniciou um curso técnico em informática especializado no desenvolvimento de software.

“Na época do curso técnico eu tinha uns 16 anos, e lembro como se fosse ontem a palestra de um professor contando que todos nós poderíamos ser super heróis com a computação. Ele falou que através da programação eu poderia fazer praticamente tudo, o imaginável e o inimaginável”.

Com o diploma em mãos, começou a saga do nosso protagonista para conseguir seu tão sonhado primeiro emprego na área de desenvolvimento.

Porém, mesmo depois de superar todos os obstáculos anteriores, novos desafios surgiram na vida de Cláudio:

“Eu sofri muito preconceito quando iniciei minha busca por emprego. Eu sempre passava a fase de análise de currículo, mas na hora da entrevista me olhavam torto e, quando eu começava a falar, meu perfil era automaticamente descartado.”

Dava pra ver nos olhos da pessoa. Isso me deixou muito desmotivado e cheguei a acreditar que nunca conseguiria de fato trabalhar com aquilo que eu havia estudado.”

Houve uma situação em que eu ouvi de outra pessoa que eu era incapaz de fazer qualquer coisa por causa da minha deficiência. E ouvir isso machuca demais”.

Cláudio nos contou que sempre era reprovado nas vagas de emprego, e que sua mãe, Dona Simone, chorava muito, mas sempre o motivava muito dizendo para nunca desistir.

“Nesses momentos minha mãe falava que meu currículo ainda seria muito maior do que a minha deficiência, e que um dia uma empresa iria reconhecer isso.”

Eis que Cláudio conseguiu seu sonhado estágio e logo veio o primeiro emprego na área de desenvolvimento. Nosso protagonista contou que na empresa, em São Luís, ele era o principal programador, e que por acaso ficou sabendo da existência da Zappts.

 “Um amigo compartilhou a vaga da Zappts comigo no whatsapp, daí lendo a vaga eu percebi que tudo que pedia na vaga eu tinha a oferecer. Mas por ser uma empresa de São Paulo eu pensei que não iria conseguir, porque eu moro em São Luís do Maranhão, né?!”.

Nosso Zappter Protagonista se enganou. Ele enviou seu currículo e… passou. Fez os testes e… passou. Fez a entrevista de fit cultural e… passou. Por fim, fez a entrevista técnica e a vaga era dele!

“Quando o Luciano me ligou, isso foi no dia 05 de janeiro, me dizendo que eu havia passado, toda a felicidade do mundo tomou conta de mim. Ele me perguntou se eu iria cumprir o aviso prévio do meu antigo emprego ou se eu poderia começar de imediato. Eu não pensei duas vezes e respondi que começaria ontem!”.

Cláudio conta que desde o momento em que chegou na Zappts foi muito bem acolhido e sentiu um grande voto de confiança dos gestores.

“Logo na primeira semana, no whatzappts (evento interno da empresa), pediram pra eu dar um depoimento sobre a minha vida, e isso rola com todo mundo novo. Isso nunca tinha acontecido antes, as pessoas pedindo para eu contar sobre mim, me dando visibilidade. Foi emocionante, me senti abraçado naquele momento”.

Mesmo trabalhando remotamente, Cláudio sente muita proximidade com os companheiros de trabalho que ainda não conheceu pessoalmente.

“Tirando o pessoal da minha casa, eu nunca tinha me sentido tão abraçado e acolhido como na Zappts. Rola um clima de companheirismo muito grande e todo mundo brinca e ri muito. Fora que a empresa permite que eu continue estudando, correndo atrás de novos conhecimentos”.

Com apenas 24 anos, nosso estreante da série Zappter Protagonista vem trilhando uma jornada de superação e sucesso pessoal e profissional. Não poderíamos deixar de contar essa história.

Nós mais do que agradecemos pela confiança compartilhada e nos sentimos honrados por fazer parte da sua história, Cláudio.

Para finalizar, perguntamos a ele: o que você falaria para o seu eu do passado? E o que você falaria para outras pessoas que podem estar passando pelo mesmo que você já passou?

“Ah, cara, se eu pudesse falar comigo no passado eu falaria que eu era muito mais do que as pessoas pensavam e falavam de mim. Para quem está passando por problemas devido a sua deficiência, digo que nunca desista e que a primeira pessoa que precisa acreditar em você é você mesmo”.

Ah, e tem mais um detalhe: Além de ser fã do imperador Adriano (ele ama esse meme/foto), Cláudio curte brega, funk e pagode, e semanalmente joga LOL (League of Legends) com o pessoal aqui da Zappts.