Escolha uma Página
Desde 2014, Pablo Augusto, Founder & Board Member. Zappters Protagonistas Episódio 11.

Episódio #11: Pablo Augusto

Bem-vind_ ao Zappters Protagonistas!

Nesta série você tem a oportunidade de conhecer a história dos talentos da Zappts, empresa 100% remota focada em projetos de transformação digital de grandes marcas.

Você perdeu nosso último episódio? Confira a história da Karol Savariego no Episódio #10: Se não é pra ser divertido, nem saia da cama

Quer conhecer nossas vagas? Então, clique aqui.


Outubro é o mês de aniversário da Zappts. E para comemorar nossos 7 anos, nada melhor que entrevistar um dos fundadores da empresa, o Pablo!

“Eu nasci em Mococa, uma cidade pequena no interior de São Paulo, perto de Ribeirão Preto.”

Filho de um paulista com uma mineira, o Pablo nos contou que herdou sua parte workaholic de seu pai, mas a parte de olhar para as pessoas veio de sua mãe.

“Sempre morei no interior. Sai de casa para trabalhar com 17 anos, fiz curso técnico em eletrônica, depois faculdade de Engenharia Elétrica com ênfase em Telecom, no sul de Minas Gerais.”

Super família, o Pablo disse que adora colocar os filhos para dormir, fazer o café da manhã e levá-los para a escola, além, é claro, de jogar muito videogame com as crianças! Eles também curtem viajar e são apaixonados por cinema!

“Meus preferidos são os documentários. Adoro histórias da vida real! Mas também gosto de coisas que nos levam para outros mundos, tipo ficção científica e Universo Marvel.”

Profissionalmente, nosso entrevistado diz que, desde sempre, tem uma veia empreendedora e que não teve muito incentivo dos pais para montar seu próprio negócio. Mas, mesmo assim, a ideia era abrir uma empresa logo que se formasse na faculdade.

“Sempre tive um DNA empreendedor. Quando era criança, eu brincava de vender as coisas, e até na faculdade, sempre vendia algo. Mas, na visão dos meus pais, eu precisava arrumar emprego em uma grande empresa. Meu pai tinha um bom emprego, uma carreira estável, eles não queriam que eu empreendesse.”

“Quando me formei, a ideia era montar uma empresa, mas vi na faculdade um anúncio sobre o processo seletivo em uma multinacional, e a primeira etapa era uma prova de inglês. Fazia tempo que eu não estudava a língua, e decidi fazer a prova para testar meu nível. Para a minha surpresa, das 100 pessoas que fizeram o teste, eu fui uma das 4 que passou.”

E foi aí que nosso protagonista teve a oportunidade de vir morar em São José dos Campos/SP, onde hoje se encontra a sede da Zappts.

“A próxima etapa do processo seletivo era fazer uma apresentação em São José dos Campos e, como eu nunca quis morar em cidades muito grandes, vi uma oportunidade. Pensei: ‘quem sabe ao invés de empreender agora, eu trabalho, junto dinheiro e aprendo como funciona uma empresa’. ”

Então, o Pablo fez a apresentação e foi aprovado como estagiário nesta multinacional. Lá, ele passou por várias áreas e completou 10 anos de carreira, mas afirma que, durante esse período, houveram algumas coisas que mudaram sua visão em relação aos rumos que sua carreira tomava.

“Em 2012, vários diretores e executivos foram desligados da empresa por conta de uma mudança política. Eram caras que eu admirava e, de repente, essas pessoas foram mandadas embora. Eu percebi que esse era um ambiente instável e que eu deveria retomar com os meus planos de empreender.”

2012 também foi o ano em que nosso protagonista começou a trabalhar com o Rodrigo, o outro fundador da Zappts.

Pablo e Rodrigo, em 2014, no primeiro escritório da Zappts.

“Éramos colegas de trabalho, e, em 2013, o Rodrigo me mostrou que estava aprendendo a criar aplicativos de celular, por hobby mesmo. Enquanto a esposa dele lia alguns livros a noite, ele programava, e já tinha criado dois aplicativos. Eu curti muito os apps que ele tinha feito e dei a ideia de investirmos nisso. Eu estava com muita vontade de começar a empreender!”

Neste ponto da história, você deve imaginar que foi neste momento que eles fundaram a Zappts. Mas não foi exatamente assim…

“Depois de algumas reuniões fora do horário de trabalho, a gente decidiu criar um aplicativo nosso, chamado ZMiles. Era um aplicativo de loyalty, focado em pequenos e médios varejistas. A gente queria substituir aqueles cartões de fidelidade que você ganha um carimbo e a cada 10 carimbadas você troca por alguma coisa grátis.” 

Aos risos, o Pablo disse que, nessa época, eles ainda trabalhavam na empresa multinacional, e que empreender era apenas um hobby para ele e o Rodrigo.

Quando o ZMiles foi criado, eles perceberam que havia uma grande demanda de criação de aplicativos para o mercado, e então se perguntaram: por que não atender essa demanda e criar um negócio? E, aí sim, surgiu a Zappts!

“O nome da Zappts veio de uma ideia que a gente tinha para outro aplicativo. Era um app de pedidos em restaurante que iria se chamar Zappetit, porque o ‘Zapp’ dava a sensação de rapidez e ‘appétit’ é apetite em francês. Mas a ideia acabou não indo para a frente.”

Então, depois de quebrarem muito a cabeça, o Pablo e o Rodrigo decidiram utilizar a mesma analogia em sua nova empresa de aplicativos. Além de ter a palavra “app” no meio, o nome Zappts daria a sensação de velocidade, podendo ser associada à ideia de aplicativos rápidos e a rapidez do dev.

“Começamos a Zappts com eu criando o produto e fazendo a parte comercial, e contratamos estagiários para ajudar o Rodrigo com a parte de programação. Nessa época ainda trabalhávamos em outra empresa, e só ficávamos todos reunidos no fim do dia.”

Nosso protagonista nos contou que, no começo, o escritório da Zappts ficava nas partes do fundo de um mercadinho de bairro, e para chegar até lá, precisavam passar por um depósito cheio de comidas e muita bagunça.

“Nossos primeiros clientes foram um grupo de advogados colombianos e depois trabalhamos com várias startups. Os grandes projetos começaram a aparecer, acabamos descontinuando o ZMiles por uma mudança de objetivos.”

“Evoluímos a tecnologia do Zmiles para o iClubs, que inicialmente era um app que criava programas de incentivo para doadores de ONGs. Mas, enxergando uma dor de mercado, começaram a usar a tecnologia para criar programas de fidelidade para grandes empresas”

Mesmo a evolução da Zappts tendo sido rápida, o Pablo diz que foram períodos difíceis, visto que ele era a única fonte de renda da família.

“Demorei um ano e meio para receber o meu primeiro salário de Zappts, e quando recebi, nem chegavam perto dos que ganhava na carreira de executivo de grande empresa. Eu tinha uma boa carreira na multinacional e, quando saí de lá, tinha economizado dinheiro suficiente para viver por alguns meses.”

Com medo de a Zappts não dar certo e ter que voltar para o mercado de trabalho, nosso entrevistado, juntamente com o Rodrigo, trabalharam ainda mais e fizeram o avião decolar.

E não foram só os desafios financeiros que estavam presentes na vida do nosso protagonista nessa época. Os desafios pessoais que ele enfrentou no começo da empresa foram fundamentais para o DNA da Zappts ser o que é atualmente.

“2014 foi um ano muito difícil. Meu filho mais velho tinha um ano e pouquinho e minha esposa estava grávida do nosso segundo filho quando minha sogra descobriu que tinha leucemia e veio a falecer. Decorrente desse período, minha esposa teve depressão, então eu tinha os meus horários malucos de trabalho, dois filhos pequenos, a Zappts começando e minha esposa precisando de mim.”

“Eu virava noites trabalhando e tive uma crise de Burnout que me gerou síndrome do pânico e depressão. Fiquei dois anos e meio em tratamento.”

“Parte do DNA da Zappts vem dessa fase da minha vida. Nossa preocupação com as pessoas, com a saúde e bem estar de cada um que trabalha com a gente veio dessa minha experiência pessoal,e a escolha de ter o Tiba com a gente também. Ele passou por uma situação parecida e largou a carreira para cuidar da inteligência emocional das pessoas.”

Hoje, nosso fundador diz ter muito orgulho de ver o que a Zappts se tornou!

“Dá muita satisfação ver que as pessoas que trabalham aqui também se preocupam com pessoas e cuidam uns dos outros. Isso é parte da nossa história e a gente não tinha nem noção que dava para continuar sendo assim com 2 ou com 100 funcionários. É muito bom ver que essa cultura se perpetuou mesmo com o nosso crescimento .”

Desde o começo, o objetivo do Pablo e do Rodrigo era criar um bom ambiente de trabalho para seus colaboradores, e nós podemos afirmar que eles conseguiram!

“Nossa prioridade sempre foi ter um ambiente de trabalho que fosse maravilhoso. Gastamos mais da metade de nossa vida trabalhando, então a nossa empresa tem que ser um ambiente legal. E ainda temos muito o que fazer.”

Quando perguntamos sobre a chegada da pandemia, o Pablo nos contou que deu um gelo na espinha. Isso porque ninguém sabia como ficaria o mercado de tecnologia.

“Tínhamos 30 funcionários e fiquei com medo de o mercado fechar e ficarmos sem faturamento. Vi que algumas empresas estavam aderindo ao home office, e pedi para o Luciano estudar um pouco sobre trabalho remoto para que pudéssemos nos preparar para isso de forma organizada.”

“Fizemos essa transição de forma bem fácil, a gente estava bem preparado. Sempre tivemos processos, então foi bem tranquilo. O difícil mesmo foram as incertezas. Não cabia a mim controlar o mercado, mas eu podia controlar o que era minha responsabilidade, por isso decidi trabalhar o dobro.”

E foi trabalhando o dobro que as coisas deram certo. O mercado de tecnologia acelerou e as empresas deram muito mais importância para o digital.

“Investimos bastante em competência para preparar a Zappts para o crescimento. Mas foi aterrorizante, me dá calafrios só de lembrar do medo que senti, tinha 30 famílias sob minha responsabilidade. Tinha medo de perdermos projetos e clientes e não ter trabalho para o nosso time, e tinha medo da doença também.”

Para finalizar, nosso protagonista nos contou que continua se cuidando dos momentos de estresse e que hoje a prioridade é a sua família.

“Tem hora que a gente tem que parar, ter qualidade de vida. Minha vida é dividida entre o trabalho e a minha família. O trabalho é um hobby pra mim, gosto muito de trabalhar. Mas os momentos com a família são minha prioridade, ser um pai e marido presente e a todo custo.”

Ele também lembra que a Helena, sua esposa, ajudou muito na construção da Zappts, onde trabalhou cuidando da parte administrativa até pouco tempo atrás. 

“Além de me apoiar em toda a minha jornada empreendedora, a Helena cuidava do escritório da Zappts, cuidando das instalações, das contas e das pessoas, trabalhando sem ganhar salário durante muito tempo, apenas acreditando e edificando também este nosso sonho. Sou muito grato à minha super esposa, super mãe, e grande mulher batalhadora.”

Nós, Zappters, ficamos muito felizes em fazer parte do crescimento da empresa, e desejamos que o time cresça ainda mais, seguindo os valores que são tão importantes dentro da Zappts!

Eai, tá curtindo? Então continue acompanhando o quadro para conhecer sobre nossa cultura e a história de outros Zappters incríveis que ajudam todos os dias a preservar nosso modo Zappts de ser!

Você perdeu nosso 10º episódio? Confira a história da Karol no Episódio #10: Se não é pra ser divertido, nem saia da cama.

Confira nossas novas vagas, clicando aqui.