Escolha uma Página

Episódio #6: Lucas Santos.

Bem-vind_ ao Zappters Protagonistas!

Nesta série você tem a oportunidade de conhecer a história dos talentos da Zappts, empresa 100% remota focada em projetos de transformação digital de grandes marcas.

Você perdeu nosso último episódio? Confira a história da Thau no Episódio #5: O melhor da vida é aproveitar a vida.

Quer conhecer nossas vagas? Então, clique aqui.


Nosso entrevistado da semana foi o Lucas Santos, desenvolvedor front-end mobile da Zappts. 

Durante o ensino médio, Lucas estudava mecânica e tinha o sonho de trabalhar em uma famosa fábrica da região de São José dos Campos. 

“Ao terminar o colégio, fiz curso técnico em mecatrônica e consegui meu tão sonhado posto na linha de produção de uma indústria.”

Ele nos contou que era um trabalho muito duro. 

“Eu trabalhava 6 dias por semana, acordava às 5 horas da manhã e vivia cansado.”

Lucas percebeu então que era hora de sonhar mais alto, e se dedicar aos temas relacionados à computação, sua paixão desde menino.

Nosso Zappter Protagonista fez vestibular e passou para uma faculdade privada da região para estudar Ciência da Computação. 

“O curso não era barato e o dinheiro era curto, o que me fez descontinuar o ensino superior.”

Mas será que isso desanimou nosso protagonista? Não.

Com muita determinação e empenho, Lucas, em seus plenos 23 anos, começou a fazer cursinho para garantir uma vaga em uma instituição pública, gratuita, e de muita qualidade da região do Vale do Paraíba.

“Eu voltava do trabalho e ia pro cursinho. Lembro que tomava cápsula de cafeína e guaraná pra aguentar essa maratona de trabalho braçal durante o dia e estudo à noite.”

“Quando passei no vestibular fiquei muito feliz. Fui o primeiro da minha família a cursar o ensino superior.”

Lucas nos contou que foi muito difícil convencer sua família, em especial seu pai, quando decidiu largar seu emprego para focar na faculdade. 

“Na época era algo inimaginável eu largar meu emprego pra focar nos estudos, mas depois que eu consegui meu primeiro emprego, meu estágio na Zappts, toda a minha família percebeu que valeu a pena aqueles anos de sacrifício.”

Nosso protagonista teve muita dificuldade com cálculo, reprovado 2 vezes na faculdade.

“Matemática Discreta era até que de boa, mas Cálculo… difícil viu?!“

Lucas nos contou que sempre foi muito introvertido, o que o prejudicou um pouco para fazer amigos durante a faculdade.

“Sempre fui meio nerdão, jogador de videogame raiz, sabe?”

Fã de jogos eletrônicos, Lucas tem uma tattoo do triforce, do Zelda, na perna.

De Atari à Playstation, nosso protagonista já jogou de tudo nessa vida.

“Joguei muito Super Nintendo, Wii e PlayStation. Sou da época em que se alugava fita de jogos na locadora. Já tive Atari, Mega Drive, mas o forte mesmo sempre foi o PS (PlayStation).”

Grande jogador de Age of Empires, WarCraft, The Sims, Counter-Strike (Dust 2 é seu mapa preferido), Lucas até hoje joga, porém de maneira mais moderada do que antes.

“Depois do PS2 os jogos começaram a ficar mais caros, então ficava difícil acompanhar essa evolução. Por outro lado, joguei bastante no computador também.”

Lucas nos contou que sempre foi um “menino de lan house”, e foi nesses ambientes que descobriu sua paixão por computação.

“Na lan house era onde eu conseguia fazer amigos, onde falavam minha língua.”

Durante a faculdade, Lucas ficou sabendo que a Zappts estava com uma vaga aberta para desenvolvimento mobile, o que o interessou muito.

“Um amigo da faculdade já era um Zappter e me contou da vaga. Eu mandei meu CV, conversei com o Rodrigo e comecei aqui na Zappts em dezembro de 2016.”

Nessa época, a empresa contava com cerca de 10 pessoas.

Hoje, julho de 2021, a empresa conta com mais de 100 Zappters distribuídos em 14 estados do Brasil.

“A Zappts me deu a oportunidade de aprimorar não só meus conhecimentos técnicos em programação, mas também minhas softskills.”

Tímido, pouco falante, Lucas teve a oportunidade de interagir com os clientes da Zappts e assim acabou melhorando sua comunicação.

“Eu tinha muita dificuldade de me expressar bem, mas foi graças ao relacionamento direto com os clientes da Zappts que eu pude desenvolver isso em mim.”

Nosso Zappter Protagonista nasceu em Jacareí e na época do estágio dividia apartamento com seus amigos da faculdade. 

“Éramos 3 pessoas, eu e mais um de Jacareí e outro de Minas Gerais. Com o tempo cada um foi conquistando um emprego em uma região diferente e só sobrou eu.”

Hoje, Lucas mora sozinho, realizando assim mais um sonho, depois de muita luta e dedicação.

“Eu já estava conseguindo controlar melhor minhas finanças, então foi tranquilo vir morar sozinho. Quase sozinho né? Porque minha namorada está quase sempre aqui comigo.”

Na Zappts, Lucas teve a oportunidade de passar por diversas áreas, acumulando habilidades tanto no front como no back-end.

“Eu brincava que eu era o severino aqui da Zappts. Comecei no Android, depois fui pro iOS, tive oportunidade de aprender front web também e até um pouco de back-end e middleware, APIs.

Ele nos contou que uma das coisas de que mais gosta na Zappts é o fato de poder ter contato diário com os clientes, realizando o acompanhamento dos projetos de perto.

“Já participei de Design Sprint apoiando com a parte técnica também. Passei por várias áreas, mas meu foco sempre foi mobile. Agora tô estudando um pouco de flutter.”

Hoje, Lucas tem um iPhone e um Android, sua linguagem de programação preferida é o Kotlin, depois de Swift, obviamente.

“Eu brinco com o pessoal que Xiaomi não presta, mas faço isso pra provocar mesmo, porque tem gente que é fã de carteirinha da marca.”

Lucas comentou que, durante um projeto, o “dark mode” não estava funcionando apenas nos aparelhos da Xiaomi, e descobriu que o sistema operacional dos aparelhos impedia essa funcionalidade no app que estava sendo desenvolvido.

“Sou fã de iOS porque não precisamos achar tantas exceções como é o caso do Android, especialmente em aparelhos Xiaomi.”

Quando o assunto é música, nosso protagonista assumiu que tem um perfil musical bem comum ao mundo da tecnologia da informação.

“Eu gosto de rock, né? Mas escuto de tudo um pouco. Ultimamente escuto bastante MPB e RAP também.”

Lucas já tentou tocar baixo na adolescência, mas aceitou que seu negócio não era fazer música, e sim escutá-la.

“Comecei com Charlie Brown, Legião Urbana. Depois fui pro Linkin Park, Slipknot, até chegar no Iron Maiden, Metallica e Halloween. Então eu fui pros clássicos, tipo Deep Purple.”

Com saudade de ir a um show, Lucas comentou que já foi a vários concertos de bandas brasileiras e que não vê a hora de a pandemia passar para voltar a sair.

“Lembro que, quando eu tinha uns 12 anos, fui ao show do Dead Fish. Foi bem louco.”

Lucas também curte muito cinema e já assistiu a todos os filmes da Marvel.

“DC não, DC acabou pra mim depois do Super Homem. Marvel é mais divertido. O Fukuda aqui da Zappts só me indica filme ruim, e eu sempre indico coisa boa pra ele.”

Nosso protagonista também gosta de ficção científica, não só nos filmes mas também nos livros.

“Tô lendo hoje Blade Runner, que o Luciano me emprestou. Preciso devolver o livro pra ele.”

Nosso Zappter sonha em continuar seus estudos na área de mobile e em poder ajudar a solucionar problemas desse universo.

“Aqui na Zappts eu tenho a oportunidade de continuar estudando e me aperfeiçoando sempre. Acho que é isso que me fez completar 5 anos de empresa, essa possibilidade de me tornar um profissional cada vez melhor.”

A Zappts se orgulha demais por ter talentos tão comprometidos e profissionais como o Lucas!

Você perdeu nosso 5º episódio? Confira a história da Thau no Episódio #5: O melhor da vida é aproveitar a vida.

Confira nossas novas vagas, clicando aqui.