Escolha uma Página

Episódio #8: Otaviano Mendes.

Bem-vind_ ao Zappters Protagonistas!

Nesta série você tem a oportunidade de conhecer a história dos talentos da Zappts, empresa 100% remota focada em projetos de transformação digital de grandes marcas.

Você perdeu nosso último episódio? Confira a história da Nat no Episódio #7: Entre a arte, a tecnologia e o amor pela natureza.

Quer conhecer nossas vagas? Então, clique aqui.


Nosso entrevistado da semana foi o Otaviano Mendes, Scrum Master aqui na Zappts.

Pelo título deste episódio você já deve estar imaginando que nosso protagonista gosta muito de café, pizza e programação. 

Sim, é verdade. Mas o que talvez você não saiba, foi a forma como começou a nossa entrevista. 

“Eu sou o Otaviano e minha esposa está grávida, então estamos esperando nosso primeiro filho que deve nascer em setembro, mês que vem”.

Uma excelente notícia assim, logo de cara. Nosso protagonista nos contou que atualmente só tem cabeça pra isso, a chegada do Arthur.

“Minha esposa queria fazer um book fotográfico de grávida, sabe? Esses que tira foto com cavalo, sem cavalo. Mas eu sou péssimo pra fotos”.

Falando da parte profissional, Otaviano nos contou que sua jornada pelo universo da tecnologia da informação teve muitas idas e vindas, começando pela infância.

“Eu cresci cercado por pais e tios que tinham empresas de informática. Então meu hobby de criança era brincar de apertar parafuso e montar gabinete, eu amava aquilo”.

Ainda jovem, Otaviano começou a estudar programação em um curso que, segundo ele, nem existe mais: Processamento de dados.


“Eu lembro de programar em delphi, também programava em excel, era muito louco”.

Depois de algum tempo programando, Otaviano viu sua vida profissional mudar por completo, fruto de uma reviravolta que o fez entender melhor a importância das pessoas.

“Minha irmã estava abrindo uma agência de recrutamento e seleção e eu achei aquilo muito  legal”.

Ele então bateu na porta da empresa da própria irmã pedindo um emprego e ela disse: Não.

Porém, no mesmo momento, a gerente da empresa, amiga da irmã de Otaviano, disse que iria sim dar o trabalho pra ele.

“Minha irmã disse que seria problema dela, que ela seria responsável por mim lá na empresa. Bom, acho que deu um pouco certo pois acabei ficando 13 anos lá”.

A empresa realizava os serviços de recrutamento e seleção para diversas companhias do vale do paraíba, incluindo: São José dos Campos, Taubaté, Caçapava e Jacareí.

Com saudade do universo da TI, depois de 13 anos nosso protagonista foi, aos poucos, voltando à sua área de paixão.

“Eu fui trabalhar na Tivit como supervisor de recursos humanos, no departamento pessoal mesmo, só que de uma empresa focada em tecnologia. Com o tempo fui migrando novamente para a área de dev”.

Nesse tempo, Otaviano fazia a gestão de times e aos poucos conseguiu voltar para a área técnica, trabalhando como Squad Leader.

“Foi todo um processo essa questão de voltar a programar. Eu pegava uns freelas de wordpress, gestão de conteúdo online, o antigo web design. Então voltei a estudar programação mesmo até que me vi 100% trabalhando como desenvolvedor front-end”.

Nosso protagonista então foi trabalhar em uma empresa que acabava de chegar em São José dos Campos, bem no começo da pandemia de Covid-19.

“Nessa época eu estava estudando muito para tirar o atraso, a ferrugem da programação. Porém, com a pandemia, a empresa dispensou todo mundo pois não sabiam quando as coisas iriam se normalizar”.

Disponível para o mercado, Otaviano então foi abordado por uma empresa de head hunting, bem nos moldes do que ele havia trabalhado no passado com a irmã.

“Eles me ligaram e falaram da Zappts. Então bati um papo com o Luciano, com o Rodrigo, fiz os testes, entrevistas em inglês e deu tudo certo. Aquele match perfeito”.

Otaviano nos contou que nunca havia feito parte de uma empresa com tamanha preocupação com o bem-estar dos colaboradores, e que o pessoal que só conhece a Zappts não entende ainda como é bom ter acesso às lideranças e ter liberdade para desenvolver seu trabalho.

“Conversando com o pessoal eu entendi que eles não contratavam desenvolvedores, mas sim, antes de tudo, contratavam pessoas”. 

Para Otaviano, qualificações profissionais são facilmente desenvolvidas, por outro lado, a parte comportamental não é fácil de modificar.

“No começo eu ficava com a pulga atrás da orelha. Como assim que eu tenho acesso ao CTO e ao CEO da empresa? Eu achava aquilo muito estranho”.

Acostumado com empresas tradicionais, rígidas, burocráticas e processuais, nosso protagonista então se viu em uma empresa imersa por uma cultura da qual ele nunca havia visto antes.

“Eu conseguia conversar com todo mundo de forma muito aberta. Quando eu tinha alguma dúvida o pessoal me respondia na hora. Teve vez de eu ficar até meia-noite com o CTO da Zappts fazendo deploy, e isso não é normal, sabe?!”.

Nessa época a Zappts contava com cerca de 30 colaboradores, porém a preocupação com as pessoas nunca foi perdida, mesmo com um crescimento da empresa de mais de 3 vezes nos últimos tempos.

“Eu sempre falo isso pros jovens Zappters. Vocês podem se deslumbrar com empresas que tem prédios inteiros cheios de desenvolvedores, com marcas muito reconhecidas, mas vai sentar lá pra ver. Você é só um número e dificilmente será visto com um ser humano em desenvolvimento. Salário não compra tudo”.

Otaviano lembrou de sua época como recrutador, e nos contou como as pessoas, principalmente as mais jovens, acabam se decepcionando quando vão para uma mega empresa.

“Eu lembro de processos seletivos que nós ajudávamos a empregar mais de 2 mil pessoas de uma só vez. Tudo na área de tech. Passavam 2 meses os devs voltavam até a empresa de recrutamento e seleção procurando recolocação em uma empresa que fosse mais humana”.

“Ganhar o dobro é legal pra caramba. Mas vale sua saúde mental? Vale a sua relação com seus amigos e familiares?” 

Equilíbrio foi uma palavra muito falada no nosso papo com o Otaviano.

Colocar as coisas na balança e ponderar o que vale mais a pena não é um desafio fácil, mas é uma necessidade para quem busca ter um trabalho com sentido.

“Cansei de ver gente falando que ganhava rios de dinheiro, mas que não tinha tempo pra viver. Ai eu te pergunto, isso é vida?”

“Vou te dar um exemplo. Eu vou ser pai em breve, e um dos sócios da Zappts me indicou um livro sobre paternidade. É tão simples né? Mas você não vê isso na maioria das empresas”.

Otaviano nos contou que sempre gostou muito de viajar, mas com a vinda de Arthur, ele está muito caseiro, preparando tudo para seu primeiro filho.

“Agora que eu quase não viajo mais, venho aproveitando black fridays, vendo muita série de TV e estudando muito”.

Nosso protagonista nos contou que gosta muito de café, mas muito mesmo.

“O pessoal brinca que eu bebo mais café do que água, mas isso não é verdade. Mas sim, eu gosto muito. Minha esposa conhece meus gostos e até fez um cantinho do café pra mim”.

São Paulino ferrenho, além de café, Otaviano sempre gostou de futebol, mas nunca foi bom jogador. Por outro lado, ele jogou muito basquete e já foi campeão estadual.

“Minha família sempre foi do esporte. Já joguei de tudo um pouco, mas foi o basquete que eu realmente curti. Tinha o projeto “Atleta Cidadão” na quadra ao lado da minha casa, então corri atrás e consegui uma vaga no time”.

E música? Otaviano escuta de tudo, mas não gosta nem um pouco de pisadinha.

“Melhor eu nem falar isso porque todo mundo do time gosta de pisadinha. Eu escuto bastante rock e podcasts de esporte”.

E comida? Sim. Pizza!

“Minha família tem origem italiana, então as massas, especialmente pizza, sempre fizeram parte dos nossos finais de semana. Hoje eu peço pizza pelo menos 1 vez por semana. Só não peço mais porque minha esposa não deixa. Eu gosto muito”.

Para finalizar, Otaviano nos contou sobre seu mais novo vício: criar rotinas para a Alexa e automatizar tudo o que der na sua casa.

“Eu falo pro pessoal não comprar esse bicho, porque todo mundo que compra a Alexa fica viciado. Eu estava automatizando tudo aqui em casa, comprando interruptores wifi, tudo, mas com a vinda do Arthur eu dei uma segurada nesses gastos”.

Nós ficamos muito felizes por contar com Zappters como o Otaviano, e desejamos que ele possa seguir sua jornada com tranquilidade, muito café e pizza. Que a vinda de Arthur seja tão especial como é a presença de Otaviano na Zappts.

Você perdeu nosso 7º episódio? Confira a história da Nat no Episódio #7: Entre a arte, a tecnologia e o amor pela natureza.

Confira nossas novas vagas, clicando aqui.